21 de mai de 2008

Conspiração Cavalera

Dez longos anos separaram os dois adoráveis irmãos. Irmãos que agora resolveram deixar as diferenças de lado e voltar com tudo.

Estou falando de Massimiliano Antônio Cavalera, ou melhor: Max Cavalera. Junto com seu irmão Iggor, com quem não falava haviam 10 anos. O álbum de estréia do Cavalera Conspiracy é descrito como 'algo meio ao vivo', um "Max & Iggor que ninguém vê". Palavras do próprio Max.

Os irmãos vivem agora o frio na barriga da primeira turnê da banda. “Esse álbum tem um clima mais ao vivo”, comenta o vocalista e também produtor a respeito do recém-lançado “Inflikted”. “Tem um Max & Iggor que ninguém vê, no estúdio, que é algo monstruoso, arrepia, não dá pra explicar. Essa era a minha intenção, tentar capturar esse lado animal. Noventa por cento da gravação foi feita ao vivo, com erros, tocando sem frescura”, comemora. Completam a formação do grupo o guitarrista Marc Rizzo e o baixista Joe Duplantier.



Confiram trechinhos da entrevista dada por Max ao site G1:


G1 - A turnê que vocês vão fazer passa pela Europa e pelos EUA. Vocês pretendem incluir datas no Brasil?

Max Cavalera -
Isso está sendo discutido agora. Até o próximo mês já deve ter algo fechado. O Iggor está vendo isso com o empresário na Inglaterra. Já pedi uma atenção especial ao Brasil, porque eu tenho que tocar no Brasil principalmente com o Iggor, é uma coisa que tem de ser feita. Acho que vai rolar mais pro fim do ano, talvez em novembro, dezembro. Estou pronto pra tocar. Não preciso de desculpa pra sair de casa, estou sempre pronto pra sair em turnê. Infelizmente vai rolar primeiro Europa e depois Estados Unidos, mas logo depois vamos ao Brasil. Pra mim é assim, muita saudade, maior tesão. Estou em dívida com o público brasileiro.

G1 - Você tem saudade do público brasileiro?

Max Cavalera -
Muita. Tenho saudade de tudo, desde as coisas mais simples, como um caldo de cana, um pé-de-moleque, até a música. O cheiro do Brasil é diferente. Quando você chega no aeroporto, é diferente de qualquer aeroporto do mundo inteiro. O ar é diferente. A gente viaja 40 países em cada turnê e não tem nenhum que tenha essa vibração do Brasil. Eu até falei com o Iggor, se não rolar show vou pro Brasil ver a minha mãe, minha família, a molecada do Iggor, matar as saudades. Mas espero que seja com show, que é mais legal.

G1 - Como você vislumbra partir em turnê com o Iggor do seu lado, 10 anos depois?

Max Cavalera -
Eu e ele estamos prontos. Foi legal pra caramba só de estar junto com ele de novo. As coisas mais simples, como tomar café juntos, ou assistir ao futebol, coisas desse tipo. Estou super animado com a turnê e sei que ele está também. É um sonho da gente que está se concretizando, de ficar juntos, tocar juntos e sair em turnê.
A última vez que estive com o Iggor foi em 1996 num ônibus, na Europa, aí a vida virou de cabeça pra baixo, depois que rachou o Sepultura, o filho da Gloria [Dana Wells] morreu, aquele baixo astral. O mais importante foi que a gente deu a volta por cima, estamos vivos, tocando juntos.

Eu até mudei a cabeça do Iggor. Li umas entrevistas em que ele dizia que não queria mais saber de metal. Então eu virei a cabeça dele, e ele fez um disco de metal comigo. Eu falei: você pode enganar o mundo inteiro, mas enganar o seu irmão vai ser difícil. Você pode ser DJ, mas o coração está no som pesado.
G1 - O fato de você e Iggor tomarem as decisões alivia o estresse de manter uma banda?

Max Cavalera - No Cavalera Conspiracy, as tarefas são divididas. Eu cuido da parte do som, das letras, dos riffs, e o Iggor cuida da parte visual, capa do disco, camiseta. É bem parecido com o Sepultura nesse sentido. Mas o Marc Rizzo e o Joe Duplantier dão palpite. Eu quis fazer uma coisa democrática, acho que todo mudo deve tentar ajudar. É como um time. Vai ser interessante ver como isso vai funcionar na turnê.



Nota do Editor: Já era hora desses dois largarem mão do orgulho besta e voltarem a fazer o que sempre souberam: Música da mais alta qualidade!!! Eu e mais um trocelhão de fãs dos caras, agradecem ;)

5 comentários:

  1. Vi essa notícia no G1 lá do Estágio... E pqp, fiquei interessado. Infelizmente só ouvi aquela musica que passou o clipe no MTV e realmente tá bem porrada como o Max diz. Vou atrás. Certeza!!

    ResponderExcluir
  2. Bah, nem manjo, odeio² sepultura, e não conheço nadica deles pra falar alguma coisa, só sei que não sei quem brigou com alguém e bla.

    Enfim uhauahuahua

    ResponderExcluir
  3. Honestamente, Morgana, eu tb não sou nada fã de Sepultura. Mas preciso dar o braço a torcer, eles têm sua importância no cenário do rock nacional, então eles merecem o espaço. =P

    ResponderExcluir
  4. Suas hereges!!! Sepultura é foda! \,,/


    E tenho dito. :P

    ResponderExcluir
  5. Penny, isso tenho que concordar, eles tem muito² destaque.

    ResponderExcluir