2 de mai de 2008

Bleach: apenas mais um mangá com Shinigami?




»
Um adolescente com cabelo laranja, de temperamento estourado, visto por todos como um arruaceiro por culpa da cor dos cabelos mas, no fundo, um menino bondoso, que gosta de ajudar os amigos e quer sempre proteger sua família.

» Uma garota meiga, inocente, com grandes dotes físicos (leia-se seios avantajados) porém completamente desmiolada, que adora criar as comidas mais exóticas possíveis e sonha em ser um robô no futuro.

» Um rapaz alto, forte, calado, que aparenta ser apenas um monte de músculos, mas com um coração doce, incapaz de bater em alguém e com uma queda por coisinhas fofas.

» Um adolescente nerd, com óculos, o melhor do colégio, sério, emburrado, com um péssimo gosto para roupas, mas que tem como hobby corte e costura.


O que essas pessoas possuem em comum?


Todos eles têm uma forte força espiritual e, no mundo de Bleach, desenvolvem poderes especiais após uma série de eventos. Kurosaki Ichigo, Inoue Orihime, Sado Yasutora e Ishida Uryuu têm suas vidas unidas por causa de um único evento.

Tudo começa no dia em que Kuchiki Rukia, uma shinigami, é designada para tomar conta da cidade de Karakura. Seu dever? Eliminar hollows. Em uma de suas caçadas, Rukia entra no quarto de Kurosaki Ichigo. O que ela não esperava era que ele pudesse vê-la, afinal, nenhum humano consegue perceber os shinigamis. Ichigo, no entanto, está longe de ser normal. Desde pequeno ele sempre conseguira ver espíritos. Rukia logo lhe explica que há dois tipos de espíritos nesse mundo, os plus que são os bons, aqueles que o Kurosaki está acostumado a ver. E os hollows, os maus, que se alimentam de almas humanas. Também lhe conta que seu dever é enviar os plus para Soul Society (que seria o que os homens chamam de paraíso) e acabar com os Hollows, purificando-os com sua zanpakutou (uma espada que surge do poder espiritual da pessoa).

Se no começo Ichigo se recusa a acreditar, logo percebe que tudo o que a garota disse é a mais pura verdade. Um Hollow ataca sua casa e, para salvar sua família, Kurosaki acaba se tornando um shinigami, ao atravessar a zanpakutou de Rukia. Esse é o ponto inicial de Bleach, a partir daí a historia vai se desenvolvendo, dando origem a diversas sagas.


Por que Bleach é tão bom?


Ao contrario de grande parte de animes e mangás, o protagonista não é um idiota desmiolado com um grande poder, nem mesmo um atrapalhado que acaba fazendo tudo certo e muito menos daqueles que apanha, mas nunca perde.

Ichigo é uma pessoa o mais próxima do normal. Ele possui sim um grande poder, poder esse que deixa a maioria dos Shinigamis impressionados. No entanto, ele não é invencível, tendo perdido diversas batalhas, mas também não é um boboca. Não comete erros idiotas, nem mesmo se atrapalha em suas lutas. É um rapaz esforçado, que treina duro para poder proteger tanto aqueles que o cercam quanto pessoas estranhas. É um humano com seus momentos de insegurança, seus momentos de certeza, seus medos, suas paixões, seus objetivos.

Mas ele não é o único ponto forte de Bleach. Cada um dos seus amigos possui uma característica única, e juntos, formam um grupo completo. Desde a doce desmiolada Inoue aos shinigamis viciados em lutas, passando pelos personagens misteriosos, preguiçosos, estourados, mulherengos, nerds, descolados, certinhos... todos apaixonados, seja por alguém, seja por algo.

Bleach vai introduzindo seus personagens aos poucos, sempre mantendo um certo mistério. Quando o leitor pensa que já sabe tudo, acontece uma reviravolta, surge uma novidade... Suas sagas são bem divididas e nada cansativas.

A primeira apresenta Ichigo, bem como seus amigos da escola e a idéia de quem são os Shinigamis, representado até o momento apenas por Rukia. Nesse momento o leitor vai conhecendo os hollows mais simples, aprende sobre o Quincys e conhece o misterioso Urahara Kisuke, dono de uma loja de doces, mas que na verdade vende artigos da Soul Society.

Na segunda saga, vamos até a Soul Society. Ichigo precisa salvar Rukia, que fora condenada por ter lhe cedido seus poderes. Kurosaki, Inoue, Chad e Ishida partem para o seu resgate. Nesse momento cerca de duas dúzias de novos personagens surgem. Shinigamis poderosos começam aparecer. Entra em cena a Gotei 13 (os esquadrões de proteção da Soul Society), surgem as zanpakutous e suas liberações e descobrimos algo essencial sobre Urahara. Nessa saga também surge o verdadeiro vilão da série, um shinigami traidor, que não revelarei o nome para não estragar a surpresa.

Na saga seguinte, começa aparecer o verdadeiro objetivo do Shinigami Traidor, que agora, com seus aliados, moram no Hueco Mundo, mundo dos Hollows. Surge também a figura dos Arrancars, hollows que adquiriram poderes de shinigami e os Vaizards, shinigamis com poderes de hollows. Nessa fase também descobrimos o quão forte a doce Inoue é.

Na quarta parte, é a vez de Inoue ser seqüestrada e seus amigos partem para o Hueco Mundo para resgata-la. Os Arrancars mais poderosos, chamados de Espadas aparecem e lutas cheias de efeitos e poderes especiais ocorrem. Quando finalmente parece que Ichigo consegue salva-la, se inicia uma nova fase, que será a batalha final (talvez, o mangá está atualmente nesse ponto).

Mas não é só o presente que é importante em Bleach. Durante todas as sagas são mostrados trechos do passado dos personagens. E, agora, a historia principal foi paralisada, retornando 100 anos no tempo. Essa saga do passado tem como objetivo explicar os motivos de tudo que acontece no presente. O leitor agora irá saber quem realmente é Urahara, como ele virou um comerciante, qual o verdadeiro objetivo do vilão, quem são os vaizards, de que lado eles estão...

Bleach não é apenas uma história de espíritos, força espiritual, vilões poderosos e batalhas épicas. Bleach é uma história sobre o amor, seja fraterno, seja paterno. Sobre amizade, companheirismo. Sobre rivalidade, disputas. Dor, sofrimento, perdas. Desejo de obter mais poder, desejo de proteger as pessoas. Tudo com um toque de mistério e humor. Uma história onde todos personagens estão relacionados de alguma forma, seja no passado, seja no futuro. Uma história onde toda e cada ação trás consequências na vida de todos.

Mas Bleach está longe de ser um mangá dramático. Há elementos cômicos espalhados por todos os cantos. Desde de Kon, uma alma modificada que vive num ursinho de pelúcia, a hollows “bondosos” e atrapalhados que ajudam Ichigo, passando por diálogos hilários durante as lutas de Ishida e pelos belíssimos desenhos de Rukia.

O mercado de Bleach é bem amplo. Além do mangá e do anime, possui um filme, algumas ovas, trilhas sonoras, um musical e diversos jogos de video-game. No Brasil, Bleach está sendo publicado pela Panini, estando ainda no volume 4 ou 5, dependendo da região onde o leitor mora. O anime tem previsão para ser lançado em maio, pelo canal por assinatura Animax. Nos resta apenas esperar que não vá para o canal aberto e se torne mais uma insuportável modinha.

8 comentários:

  1. Goiano do Quadradinho2 de mai de 2008 03:21:00

    Eu não gosto de Bleach, mas como sou muito volúvel, para não ficar de fora do meu grupo de amizades, vou assistir. u_u

    Mas ótimo artigo! /o/ Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. E eu tenho certeza de que irá gostar /emb

    Todos até agora estão gostando.

    *Viciando todos amigos em Bleach*

    ResponderExcluir
  3. Confesso que meu interesse por Bleach aumentou de ZERO para... 0,5 depois desse artigo :P

    O interessante é que a história parece fugir um pouco ao lugar-comum das histórias de mangás... Mas ainda assim é escrita pra quem já é bem iniciado no estilo, havemos de convir ;)

    De qualquer forma, só vou assistir se ganhar um DVDS com todos os episódios dublados e com glossários explicando esse monte de termos em japonês que só os otakus entendem =D

    Mas a Quel me fez olhar pro mangá com outros olhos. Pelo menos já diferencio da praga do Naruto...

    ResponderExcluir
  4. Bah, Bleach é legal. u_u *começou a ler pra fazer o Renji, mas está gostando*

    ResponderExcluir
  5. o que me impede de começar a ver Bleach é a preguiça.

    ResponderExcluir
  6. BH, Naruto não é ruim, muito pelo contrário. O problema é ter virado modinha graças a exibição na TV aberta + a "excelente" tradução do anime.

    Ares, não veja. Leia |D

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha pensado em sequer lê esse mangá, mas depois de ler esse artigo até que fiquei interessado /hum
    Vo começar a ler..PQP, me viciei em mais uma coisa =P

    ResponderExcluir
  8. eu vi um capítulo no animax e achei uma merda!

    aih um amigo me falou: - assiste o primeiro capítulo... depois me fala se é uma merda...

    NÃO É UMA MERDA! A SÉRIE É FANTÁSTICA! COMECEI NO ANIME, ALCANCEI O CAPÍTULO ATUAL E AGORA TO LENDO O MANGÁ!

    BLEACH É MUITO PHODA!!

    ResponderExcluir